Livro O Nascimento da Tragédia ou Helenismo ou Pessimismo - Friedrich Nietzsche

1 Disponível em estoque

formato 14 x 21 cm . brochura. livro usado em bom estado de conservação com as páginas amareladas devido ação do tempo leves desgastes nas bordas... Com tradução notas e posfácio de Paulo César de Souza. Primeiro livro de Nietzsche, O nascimento da tragédia foi publicado em 1872. Obra de um jovem professor de letras clássicas, despertou polêmica pelo seu caráter pessoal e pela ousadia de sua abordagem: desafiava a concepção tradicional dos gregos como povo sereno e simples e exaltava a ópera de Wagner como renovadora do espírito alemão, numa singular mistura de reconstrução histórica, intuição psicológica e militância estético-cultural. Mais de um século depois, suas teses continuam discutidas. Ele oferece não só uma interpretação da tragédia, mas da própria cultura grega, do nexo entre arte e conhecimento e da época moderna. Já neste primeiro rebento a filosofia nietzscheana se revela como apaixonada reflexão sobre o sentido da existência. Neste pensamento, a arte contribui para adensar uma "tênue membrana de alegria e vida / sobre o imenso e escuro horror".

ISBN: 8571642850


Código de Barras: 9788571642850


Origem: Nacional


Idioma: Português


Categoria: Livros


Autor:Friedrich Nietzsche


Título: O Nascimento da Tragédia ou Helenismo ou Pessimismo


Editora:Companhia das Letras


Edição: 1ª Edição


Ano: 2003


Assunto:Filosofia


Páginas: 179


Peso: 900 gramas


Conservação: Produto Usado



Descrição

formato 14 x 21 cm . brochura. livro usado em bom estado de conservação com as páginas amareladas devido ação do tempo leves desgastes nas bordas... Com tradução notas e posfácio de Paulo César de Souza. Primeiro livro de Nietzsche, O nascimento da tragédia foi publicado em 1872. Obra de um jovem professor de letras clássicas, despertou polêmica pelo seu caráter pessoal e pela ousadia de sua abordagem: desafiava a concepção tradicional dos gregos como povo sereno e simples e exaltava a ópera de Wagner como renovadora do espírito alemão, numa singular mistura de reconstrução histórica, intuição psicológica e militância estético-cultural. Mais de um século depois, suas teses continuam discutidas. Ele oferece não só uma interpretação da tragédia, mas da própria cultura grega, do nexo entre arte e conhecimento e da época moderna. Já neste primeiro rebento a filosofia nietzscheana se revela como apaixonada reflexão sobre o sentido da existência. Neste pensamento, a arte contribui para adensar uma "tênue membrana de alegria e vida / sobre o imenso e escuro horror".