Livro Corpos Escravos Vontades Livres - Posse de cativos e família escrava em bananal - José Flávio Motta

2 Disponível em estoque

formato 14 x 21 cm . brochura. livro usado em bom estado de conservação com as páginas amareladas devido ação do tempo leves desgastes nas bordas... A implantação e o desenvolvimento da cafeicultura e o afluxo maciço de escravos foram elementos fundamentais na configuração do vilarejo de Bananal - situado na porção paulista do Vale do Paraíba - nas primeiras décadas do século XIX. Em 'Corpos escravos, vontades livres', José Flávio Motta estuda a estrutura da posse de cativos e a família escrava, temas basilares da economia e da demografia da escravidão. A utilização como fontes primárias das listas nominativas dos habitantes de Bananal, em especial as referentes a 1801, 1817 e 1829, permite ao autor mostrar as singularidades da estrutura familiar escrava na região, proporcionando uma leitura do período. loja 3/ estante 1/ gaveta 5

ISBN: 8574190659


Código de Barras: 9788574190655


Origem: Nacional


Idioma: Português


Categoria: Livros


Autor:José Flávio Motta


Título: Corpos Escravos Vontades Livres - Posse de cativos e família escrava em bananal


Editora:Annablume


Edição: 1ª Edição


Ano: 1999


Assunto:Historia do brasil


Páginas: 425


Peso: 900 gramas


Conservação: Produto Usado



Descrição

formato 14 x 21 cm . brochura. livro usado em bom estado de conservação com as páginas amareladas devido ação do tempo leves desgastes nas bordas... A implantação e o desenvolvimento da cafeicultura e o afluxo maciço de escravos foram elementos fundamentais na configuração do vilarejo de Bananal - situado na porção paulista do Vale do Paraíba - nas primeiras décadas do século XIX. Em 'Corpos escravos, vontades livres', José Flávio Motta estuda a estrutura da posse de cativos e a família escrava, temas basilares da economia e da demografia da escravidão. A utilização como fontes primárias das listas nominativas dos habitantes de Bananal, em especial as referentes a 1801, 1817 e 1829, permite ao autor mostrar as singularidades da estrutura familiar escrava na região, proporcionando uma leitura do período. loja 3/ estante 1/ gaveta 5