Livro Psicanálise, feminino, singular - Jeferson Machado Pinto

Psicanálise, feminino, singular
Psicanálise, feminino, singular

formato 15 x 23 cm . brochura. livro usado em ótimo estado de conservação; páginas limpas; miolo firme;... A ciência apresenta-se como pano de fundo de toda a discussão que se desenrola ao longo dos textos. Não é por coincidência que um dos pontos altos do livro encontra-se no capítulo em que o desejo do analista serve de apoio para o exame do contingente, cujo aparecimento a partir da atividade científica é de imediato apreendido por ela numa escritura perante a qual todo desejo se subtrai. Ainda que alguns pontos de contato possam ser considerados quando se trata do real da ciência e do real da psicanálise, a diferença radical persiste diante do desejo que nasce da inexistência de uma satisfação universal em que o objeto venha a homologar um pedido qualquer. É o momento em que é da responsabilidade do sujeito a ‘escolha forçada’ que o singulariza. Encontramos então dois termos que, agora percebemos, sempre estiveram orientando o trajeto feito até aqui: o contingente e o singular. São duas figuras que permitem a suposição de que a mesma lógica que rege a relação da psicanálise com a ciência está presente na relação do gozo d’A mulher – um gozo que não se escreve todo – com outro, que, esse sim, traz sempre a promessa de ser todo escrito – o gozo fálico. É perante essa proporção que podemos nos aproximar do lugar onde Jeferson situa a psicanálise. e3g2p4 +3n

ISBN: 9788575263570


Código de Barras: 9788575263570


Origem: Nacional


Idioma: Português


Categoria: Livros


Autor: Jeferson Machado Pinto


Título: Psicanálise, feminino, singular


Editora: Autentica


Edição: 1ª Edição


Ano: 2008


Assunto: Psicologia


Páginas: 176


Peso: 400 gramas


Conservação: Produto Usado



Descrição

formato 15 x 23 cm . brochura. livro usado em ótimo estado de conservação; páginas limpas; miolo firme;... A ciência apresenta-se como pano de fundo de toda a discussão que se desenrola ao longo dos textos. Não é por coincidência que um dos pontos altos do livro encontra-se no capítulo em que o desejo do analista serve de apoio para o exame do contingente, cujo aparecimento a partir da atividade científica é de imediato apreendido por ela numa escritura perante a qual todo desejo se subtrai. Ainda que alguns pontos de contato possam ser considerados quando se trata do real da ciência e do real da psicanálise, a diferença radical persiste diante do desejo que nasce da inexistência de uma satisfação universal em que o objeto venha a homologar um pedido qualquer. É o momento em que é da responsabilidade do sujeito a ‘escolha forçada’ que o singulariza. Encontramos então dois termos que, agora percebemos, sempre estiveram orientando o trajeto feito até aqui: o contingente e o singular. São duas figuras que permitem a suposição de que a mesma lógica que rege a relação da psicanálise com a ciência está presente na relação do gozo d’A mulher – um gozo que não se escreve todo – com outro, que, esse sim, traz sempre a promessa de ser todo escrito – o gozo fálico. É perante essa proporção que podemos nos aproximar do lugar onde Jeferson situa a psicanálise. e3g2p4 +3n

Frete Grátis

Milhares Títulos com Entrega Gratuita Para Todo o Brasil.

Pagamento Seguro

Processados por Wirecard, Paypal Adotam Os Mais Rigorosos Padrões de Segurança.

Especializado

10 Anos de Atuação como Livraria e Sebo Oferecendo o Melhor a seus clientes.

footer js: /home/mega/public_html/application/views/default/books/js.phtml