Livro Anna de Assis - Judith de Assis e Jeferson de Andrade

1 Disponível em estoque

formato 12 x 18 cm . brochura. livro usado em bom estado de conservação com as páginas amareladas devido ação do tempo leves desgastes nas bordas... “Não pode alguém se erguer e julgar Euclides, Anna e Dilermando. Apenas a palavra fatalidade pode cobrir a imagem dessas três pessoas e lhes servir de epitáfio.” Jeferson de Andrade “Mulher incomparável, de temperamento visionário e independente, aliando uma extrema beleza à cultura incomum às mulheres da época.” Anna Sharp, neta de Anna de Assis e Dilermando, referindo-se à avó Rio de Janeiro, 1909. Uma tragédia comove a Velha República e agita a provinciana sociedade carioca: Euclides da Cunha tenta matar o amante de sua esposa e, no duelo, é morto a tiros. Uma desgraça que ganhou imensa repercussão, pois tratava-se de um expoente da literatura nacional, integrante da Academia Brasileira de Letras e um dos homens mais cultos e admirados do país. Sete anos mais tarde, o filho de Euclides tenta vingar a morte do pai e também é morto por Dilermando de Assis. Publicado originalmente em 1987, este depoimento de Judith Ribeiro de Assis, filha de Anna de Assis e Dilermando, ao jornalista Jeferson de Andrade resgata a imagem da mãe e dá contornos de lucidez à triste fatalidade.

ISBN: 9788577990474


Código de Barras: 9788577990474


Origem: Nacional


Idioma: Português


Categoria: Livros


Autor:Judith de Assis e Jeferson de Andrade


Título: Anna de Assis


Editora:Best Bolso


Edição: 1ª Edição


Ano: 2009


Assunto:Literatura Brasileira


Páginas: 247


Peso: 900 gramas


Conservação: Produto Usado



Descrição

formato 12 x 18 cm . brochura. livro usado em bom estado de conservação com as páginas amareladas devido ação do tempo leves desgastes nas bordas... “Não pode alguém se erguer e julgar Euclides, Anna e Dilermando. Apenas a palavra fatalidade pode cobrir a imagem dessas três pessoas e lhes servir de epitáfio.” Jeferson de Andrade “Mulher incomparável, de temperamento visionário e independente, aliando uma extrema beleza à cultura incomum às mulheres da época.” Anna Sharp, neta de Anna de Assis e Dilermando, referindo-se à avó Rio de Janeiro, 1909. Uma tragédia comove a Velha República e agita a provinciana sociedade carioca: Euclides da Cunha tenta matar o amante de sua esposa e, no duelo, é morto a tiros. Uma desgraça que ganhou imensa repercussão, pois tratava-se de um expoente da literatura nacional, integrante da Academia Brasileira de Letras e um dos homens mais cultos e admirados do país. Sete anos mais tarde, o filho de Euclides tenta vingar a morte do pai e também é morto por Dilermando de Assis. Publicado originalmente em 1987, este depoimento de Judith Ribeiro de Assis, filha de Anna de Assis e Dilermando, ao jornalista Jeferson de Andrade resgata a imagem da mãe e dá contornos de lucidez à triste fatalidade.